Terça-feira, 30 de Dezembro de 2008

Por ti...

Assim vivias… para os sonhos. A tua máscara de perfeição foi maravilhosamente concebida, era a obra de arte por eleição. Era rara, tão rara e bela. Era tudo aquilo que querias e tinha tudo aquilo pelo que recusaste todos os outros. Minto, fui só eu. Eu, somente eu. E sempre que falarei de ti, falarei de mim. Porque tu estás em mim, como eu estou em ti. E na tua selecção, e no teu recusar, eu existo. E nesse sorriso que te fascinou não há nada. Nem dentro dessa pessoa tão imaculadamente tua. Nada, nada, nada. Só o tempo que perdeste, julgando ganhar. Até que do nada surge o que parece tudo, e a minha cova torna-se mais funda a cada imagem de saudade tua. E não me vias nunca. Eu chorava e gritava aos teus ouvidos e tu não ouvias nunca. As minhas lágrimas eram rios na tua roupa engomada, e tu não sentias nunca. A minha alma estava nua para ti, era o corpo que exteriorizava o que a alma agonizava, e eu estava tremendamente nu. E ás vezes para que me olhasses, ainda tentava sorrir, mas nunca vias nada. Olhavas em frente, como se olhasses para Deus, e tinhas vergonha. Eu sentia o teu coração fraco, e desmesuradamente forte. Não era de carne ou de sangue que ele era feito, mas de ar, e sentias-te tão cheia. E o meu coração ficava igual ao teu, tão cheio de ar. Tão cheio de nada. Até que não mais te vi. E tudo o que te posso dar foi o que vi, vivi, por ti. Vi os teus movimentos como nunca vira. E do mesmo modo que guardaste o sorriso, eu guardei o clímax do teu corpo para recordar depois de morto. Eu morri naquele momento, como morro de cada vez que me matas, cada vez que te recordo, porque não esperneio, não choro, não grito. Já não. Os mortos não sentem. Morri.

tags: ,

publicado por emtivivo às 03:04
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 22 de Dezembro de 2008

Saudade....

Passem anos, que eu vou lá estar, e lembrar-me. Não te vou poder olhar porque já esqueces-te. Não te vou dizer nada porque dói. Encosto a cabeça e deixo-me ir pelos arquivos da minha memória que têm o teu nome. Vou em busca daquilo que para mim foi o Mundo. E agora sem saber se continuas a sorrir crio imagens e pensamentos daquilo que um dia tu foste. É aí que te vou encontrando de tempos a tempos.

E tu dizes-me Olá.   

 

Um Beijo minha querida

tags: ,

publicado por emtivivo às 01:02
link do post | comentar | favorito
Sábado, 13 de Dezembro de 2008

...

Quando todos viam uma mulher


eu vi um poema...


Um beijo minha querida

tags: ,

publicado por emtivivo às 02:20
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 8 de Dezembro de 2008

...

Uma vez amei, julguei que me amariam. Mas não fui amado. Não fui amado pela única grande razão: Porque não tinha que ser. Consolei-me voltando ao sol e à chuva, e sentando-me de novo na minha cama a pensar o que iria fazer agora que ela não me ama. E arranjei uma manta para encobrir a minha mágoa e uma almofada para abafar as minhas lágrimas. Mas afinal sentir é apenas estar distraído com qualquer sensação que nos faz sentir bem ou mal connosco ou com alguém.

Um beijo minha querida...

música: Bush - Inflatable
tags: ,

publicado por emtivivo às 21:30
link do post | comentar | favorito
Sábado, 6 de Dezembro de 2008

.........................,

Queria sair daqui e poder resgatar-te de quem te tirou de mim e seria como num conto de fadas. E fugiríamos para longe, e viveríamos errantes num hotel rasca, numa cidade suja em plena Índia, e apenas nos víamos um com o olhar do outro, e seríamos únicos, e a nossa fome seria de mim e de ti, e vestiríamos o calor dos nossos corpos num quarto imundo, e bebíamos da chuva do céu quando estivéssemos dentro de um comboio apinhado de gente a caminho do Nepal, e quando chegássemos com o corpo dorido da viagem cairíamos no colo que está à espera de mim e de ti num qualquer caminho poeirento, e ficávamos a olhar o céu protegidos na sombra um do outro porque até isso amamos, a sombra, e bastava, e subiríamos a um qualquer mosteiro perdido no tempo e no espaço e contemplaríamos o deus do amor, do nosso amor, e seríamos deuses idolatrados roubando crentes a todos os sentimentos, e a cegueira  da angústia seria curada e veríamos por entre pessoas que apenas olham o chão e não usaríamos máscaras de representar porque o nosso amor nos purificou e…..Um dia vou voltar a ti e juntos continuamos a nossa história.


Um beijo minha querida...

música: U2 - New York
tags: ,

publicado por emtivivo às 17:36
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 3 de Dezembro de 2008

...


Todos pagamos mais tarde o que não fizemos mais cedo. O tempo vai cobrar-nos  por aquilo que deixamos de fazer, de dizer. De quem é a culpa? Do Medo, quem sabe, até da inércia de dar um passo em frente. E no entanto olhei-te, e com a inocência do amor, com a vontade de existirmos , com o medo perdido porque o meu coração vivia mergulhado em ti  disse-te: “Sei hoje, como saberei daqui a muitos anos, que vais ser a minha doce ilusão.”


Alguns  anos depois, sorrio, porque não me enganei.

 E sim, o meu coração continua mergulhado em ti.

(Mas o tempo, tanto tempo depois, continua a cobrar-me).   


Um Beijo minha querida

 

 

música: ...................
tags: ,

publicado por emtivivo às 20:12
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 1 de Dezembro de 2008

Falta

E eu quero brincar ao bate-pé contigo... e deixar que massajes o meu pescoço... e as costas... e que me segures na mão... e sentir-me menino quando me dás a mão... e ir comer fora... e não me importar se é caro ou barato... e preocupar-me depois... e falar sobre o dia... e sobre o chefe... e sobre os hipócritas do meu emprego... e deixar que carregues as compras... e rir das tuas palhaçadas ao volante... e ver filmes bons... e maus... e assim assim... e mudar a estação de rádiol... e deixar que me tires fotografias na praia em cuecas... e a sentir-me nu... e querer que rias das minhas piadas sem graça... e querer-te à noite mas precisar de dormir um bocado... e deixar que me abraces... e me beijes... e virar-te as costas porque estou cansado mas continuar a querer que me abraces... e me beijes... e dizer para tirares a fita do cabelo que é tão bonito sem a fita... e passar os meus dedos pelos teus caracóis... e ouvir-te dizer o quanto gostas do meu cabelo dos meus lábios do meu pescoço de mim... e sentar-me com vontade de fumar enquanto tratas dos teus bonsais... e preocupar-me que percebas que eu tenho vontade de fumar enquanto tu tratas dos teus bonsais... e dar-te beliscões... e ir aquela festa... e ver-te dançar à minha frente de olhos esbugalhados... e ficar envergonhada no meio daquela gente toda porque toda tu és à vontade... e dizer que não fiques assim que todos vão ver mas a querer que fiques assim porque eu também estou assim... e pedir desculpa quando estou errado... e custar-me pedir desculpa quando estou errado... e adorar quando me desculpas... e desejar ter-te conhecido desde sempre... e ouvir-te sussurrar no meu ouvido o quanto gostas de mim... e a sentir o mesmo mas a não conseguir dizê-lo como tu dizes... e a ficar irritado por não conseguir dizer como tu dizes... e ficar assustado quando perdes a calma... e a tua voz se altera... e desejar que nunca te zangues comigo... e dizer-te que te adoro com os meus olhos... e desejar que percebas o que estou a dizer-te com os meus olhos... e que me abraces quando estou stressada... e deixar-te doido quando te toco... e saber o quanto o teu sorriso é lindo... e ter medo que as outros achem que tens um sorriso lindo... e querer que seja um segredo só meu... e não compreender por que é que pensaste que eu podia não gostar de ti quando eu gosto de ti... e pensar como é que tu podias achar que eu podia não gostar de ti estando contigo... e pensar que sabes como eu sou mas aceitas-me na mesma... e escrever-te poemas de amor... e colocar na net para todos verem... e hesitar em pô-los na net para todos verem... e ter um sentimento tão profundo que é difícil escrever sobre isso... e é tão fácil escrever sobre isso... e quase ter ciúmes do cão porque eu quero toda a tua atenção só para mim... e gostar quando me compravas prendas que eu queria quando eu ainda não sabia se queria estar contigo... e deixar que me peças em casamento... e eu a imaginar-me a dizer que sim... e tu a perguntares se é mesmo sim... e eu a pensar como é que tu podes pensar que eu não diria que sim... e eu a querer que tu estejas a falar a sério... e tu mesmo a falar a sério... e querer aquilo que queres... e saber que estou seguro contigo... e saber que sabes o pior que há em mim... e tentar dar-te o meu melhor porque mereces tudo... e é maravilhoso estar contigo... e é maravilhosa esta harmonia... e não tenho sequer que fazer um nem dois nem três esforços... e falar línguas que não sei contigo... e fazer amor contigo às tantas da manhã... e tentar tentar tentar tentar transmitir ao menos um bocadinho do coerente, nobre, absoluto, contínuo, incondicional e infindável amor que sinto por ti.

 

Este texto é para ti minha querida. Sei que irias gostar...

Um beijo.

 

 Tradução livre de um texto de Sarah Kane: “A Falta”

música: Kelly Rowland - Stole
tags: ,

publicado por emtivivo às 06:33
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 2 seguidores

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. ...

. (...)

. (...)

. Tratamento para esquecer ...

. Im just a boy...

. A carta

. Respiro o teu corpo

. Sete anos....

. (...)

. Tudo vai bem

.arquivos

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2012

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Março 2011

. Dezembro 2010

. Junho 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs

.subscrever feeds